terça-feira, 13 de junho de 2017

Vantagens de viver no campo

O Brasil é um país urbano. Conforme divulgado pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE). mostra que nos últimos 60 anos a população urbana passou de 31% da 81%. O artigo completo se encontra aqui. A vida na cidade tem suas vantagens e desvantagens, assim como a vida no campo. No entanto, irei abordar aqui apenas as vantagens de morar no campo.

Já pensou acordar com uma vista dessa?

Privacidade e Tranquilidade


Se você gosta de privacidade e tranquilidade viver no campo isso funciona bem, especialmente se sua casa estiver situada em uma área remota e se você não tem vizinhos por perto. 

As cidades estão repletas de pessoas e é praticamente impossível você sair sem ser visto por outras pessoas. A maioria das cidades grandes nunca dormem. Para conseguir um pouco de paz, muitos moradores da cidade procuram morar em bairros mais distantes em busca de mais privacidade e de pouco ruído. No campo as pessoas não tem problemas com privacidade ou ruído constantes de tráfego. Se você não quiser ver ninguém não precisa. Muitas vezes você nem vai ouvir carros, caso sua casa seja distante de alguma estrada.

Menos poluição


O campo é geralmente calmo e pacífico, certamente não é tão contaminado com poluentes tóxicos como na cidade. Não há tanto tráfego, poluição atmosférica ou poluição da indústria. Ecologicamente falando, as vantagens de viver no campo incluem comer alimentos cultivados localmente. Menos poluição porque não há carros, como acontece na cidade. 

O ar limpo é, sem dúvida, uma das principais vantagens da vida no campo. Em qualquer cidade, ainda que pequena, há milhares de carros, industrias. Uma coisa fácil de notar são as cortinas, as placas brancas de pano todas pretas devido à poluição, imagine os nossos pulmões. As pessoas que vivem na zona rural tem menos problemas respiratórios.

Sentir mais perto da natureza


No campo, você é acordado pelos cantos dos pássaros e não pelo barulho do trânsito. As casas no campo estão cercadas pela natureza, que tem um efeito calmante na mente e no corpo. No campo, você não precisa deixar sua casa para se sentir mais perto da natureza, porque a natureza vai até você e é bastante comum ver animais selvagens como pássaros, borboletas, ouriços, raposas, coelhos no seu quintal.

Espaço maior


No campo você tem mais espaço. Se você deseja crescer sua casa, você tem espaço para fazê-lo. Se você quer construir um galpão ou um celeiro ou um estúdio de arte, você tem espaço. O espaço é superior a áreas urbanas. Você pode até ter mais filhos do que você teria se tivesse ficado em sua pequena habitação na cidade. Dependendo de onde você mora no campo, você pode ter vista para a montanha, vista para o lago, vista para o oceano ou pastagem bem na sua porta.

As cidades cronicamente não têm muito espaços abertos e as crianças tendem a jogar mais jogos de computador e menos jogos ao ar livre. No campo você pode jogar um jogo sem ser virtual, brincar de bola, aprender a andar de bicicleta ou simplesmente se divertir ao ar livre. Claro que essas brincadeiras são feitas na cidade, mas isso acaba sendo mais difícil de ser executas. No campo, as crianças têm tanto espaço quanto querem e não têm que compartilhá-las com dezenas de outras crianças, como é o caso na maioria dos parques das cidades e playgrounds.

As vantagens no campo são muitas. Abaixo há uma lista sucinta.


  • Capacidade de produzir sua própria comida: No campo, você pode facilmente cultivar frutas e vegetais suficientes para consumo próprio. E isso acaba deixando a comida mais saudável e natural.
  • Pessoas mais amigáveis: No campo, todo mundo conhece todos e as pessoas realmente se cumprimentam. As comunidades no campo são muito menores, mas estão mais conectadas e abertas. As pessoas no campo são realmente mais amigáveis e estão preparadas para ajudar sem pedir nada em troca.
  • Viver sem pressa: O tempo corre mais devagar no campo. Diferente dos moradores da cidade que tendem a estar sempre com pressa para algum lugar. O que leva a um grande estresse.
  • Baixas taxas de criminalidade: A vida no campo é muito mais segura do que na cidade quando se trata de crime que é praticamente inexistente no campo mesmo sendo aqui no Brasil.
  • Dormir em paz, nenhum ruído, nenhuma luz que entra pela janela: Na cidade, a atividade não para, há pouco momento de paz. No campo, a noite de sono é em total silêncio e isso faz com que o sono seja muito mais tranquilo e o descanso é bem melhor.
  • Espaços abertos, paisagens, etc: As áreas rurais nos convidam a praticar exercício. Você tem acesso fácil a caminhadas, escaladas, passeios de bicicleta, acampamento, pesca, caça e vários lugares onde você pode fazer qualquer coisa que você quiser sem viajar para outro lugar para fazê-lo. É só sair da sua porta do fundo e você pode estar dentro ou perto de uma trilha natural, de um rio, etc.

Abraços,
Cowboy Investidor
Leia Mais ››

terça-feira, 6 de junho de 2017

7 Sinais de que você está gastando mais do que pode



1. Gasta muito dinheiro para definir uma posição social


 A atividade social é um fator muito importante na qualidade de vida de uma pessoa, mas a maioria das pessoas não gostam de dizer: "Eu não posso ir porque eu não posso gastar mais este mês", ou "Nós podemos ir ao outro lugar, porque esse é muito caro?". Mas gastar mais do que podemos em eventos sociais, pagar aluguel de um belo apartamento que envolve muito do nosso dinheiro só para estar orgulhoso de onde vivemos, ou comprar uma roupa que tem que ser financiada em 12 parcelas para impressionar as pessoas, é sem dúvida uma má ideia, e que pode nos levar a uma situação de dívida alta.

Não desistir da vida social, mas é importante fazer uma pausa por um minuto para avaliar as razões dos gastos e encontrar maneiras de obter tempo de qualidade com seus apegos, sem afetar negativamente o orçamento pessoal. Preciso realmente ir a esses lugares com um estilo de roupa? Esses ambientes a qual eu me divirto sempre envolve gastar mais? É importante para mim o que os outros pensam dos meus bens?

2. Paga o mínimo do cartão de crédito 


Hoje a maioria das pessoas usam cartão de crédito como forma de pagamento.  As empresas de cartão de crédito oferecem todos os tipos de incentivos através de bancos e empresas para incentivar os consumidores a usar e tornaram-se uma forma de pagamento ao ponto de não precisar ter dinheiro em sua carteira na hora de uma compra.

Não há nada de errado em usar o cartão e recolher os seus pontos de recompensa, desde que você esteja pagando a fatura total de cada mês. Se não consegue fazê-lo sem ficar sem dinheiro para viver o resto do mês, ou paga o mínimo e refinancia o resto, você está gastando mais do que você pode pagar. Refinanciar o saldo do cartão de crédito tem enormes prejuízos, pois os juros são os maiores do mercado. E se ainda você continuar a usar só gera um aumento da dívida. Se esta for a sua situação, a primeira coisa que você precisa fazer é simples. Pare de usar o cartão. Pague sua dívida. Avalie as suas despesas e tente reduzir os gastos que você faz com seu cartão de crédito. 

3. Não poupa nada da sua renda mensal


Muitos reclamam que o salário é baixo e que não conseguem poupar nada. Mas o ideal é economizar pelo menos 10 a 15% de sua receita total, segundo os analistas. Na minha opinião essa porcentagem o ideal seria no mínimo 30%. Mas se você não pode economizar nem 5%, pode ser um sinal de que você está vivendo além de seus meios.

Se você sentir que é impossível salvar 5% de sua renda, há duas possibilidades: a sua renda não cobre suas necessidades básicas, ou está gastando em itens ou serviços que realmente não precisa. No primeiro caso, deve ser avaliado como aumentar a receita (por exemplo, ter um pequeno empreendimento paralelo a sua fonte de renda atual, ou se você tem um comércio, atrair mais clientes, como melhorar o marketing, mudar estratégias de negócios, etc). No segundo, reduza os custos e se comprometa com você e seu futuro. Pague-se primeiro. Faça isso quando o dinheiro entrar em sua conta.

4. Não tem uma reserva de emergência 


Embora não seja o mais agradável para pensar, estamos todos em risco de algo ruim acontecer conosco, um acidente, uma doença, ficar desempregado, etc. O ideal é criar uma reserva de emergência para servir para sobreviver de 3 a 6 meses sem renda. Esta economia tem de ser mantida de forma segura, líquida (ter o dinheiro em menos de 48 horas) e protegido da inflação para que esse valor seja constante.

5. Tem um veículo que não está de acordo com o seu rendimento 


Um veículo é um passivo que está sempre associado a custos: seguro, manutenção, peças de reposição, estacionamento, combustível, etc. Compre um veículo que está de acordo com sua renda. Não compre nada só por status para mostrar que está bem, mas que no fundo você está devendo até as calças. Tenha consciência dos seus gastos. 

6. Usar o cheque especial 


Quando isso acontece você está gastando dinheiro que você não tem. Para evitar se tornar uma vítima do cheque especial controle suas despesas através de planilhas de controle de gastos, com o sistema de envelope que funciona da seguinte forma: as despesas se dividem em categorias, por exemplo, mantimentos, saúde, diversão, aluguel, etc. Coloque o dinheiro destinado para cada categoria no envelope correspondente. Quando o dinheiro envelope termina, não use qualquer cartão de crédito ou débito. 

7. Não tem um orçamento mensal 


Ter um orçamento por escrito é um dos passos mais importantes para a liberdade financeira e viver dentro de suas possibilidades. Então, se você nunca estabeleceu parâmetros financeiros, agora é hora de você definir um controle honesto de acordo com sua renda. Defina suas despesas, poupança e metas de investimentos. 

Não há necessidade de orçamento de uma vida, mas por alguns meses ou anos para estar ciente do destino do seu dinheiro. Este exercício pode te ajudar a acompanhar o que você está gastando, quando e em que proporção está de acordo com sua renda.

Desafie-se a pagar todas as despesas em dinheiro de um mês, isso pode ser um bom exercício para alguém que não tem conhecimento ou nega as suas derrapagens. Uma vez que você tem uma ideia de seus próprios padrões e hábitos, você pode trabalhar em estabelecer um orçamento realista que permite que você salve algum dinheiro.

Abraços,
Cowboy Investidor
Leia Mais ››

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Atualização do Patrimônio Financeiro - Maio de 2017: R$ 86.194,92

Olá Senhores (as),

Abaixo segue o fechamento de maio. Nesse mês o aporte foi abaixo do planejado, pois tive uns imprevistos. Por enquanto meus aportes estão sendo em ações e FII. Como a minha carteira está praticamente em renda variável, esse mês o desempenho foi péssimo devido o que ocorreu no dia 18 de maio (delação da JBS). 

Minha carteira estava vindo com um crescimento incrível, chegou a bater os 91k, mas no dia 18 a queda foi tão grande que até hoje não conseguiu voltar aos 91k. Iria ser um rendimento espetacular no mês de maio, mas para quem está exposto à renda variável tem que estar preparado para essas coisas e seguir em frente. Se as empresas seguem com bons fundamentos não há o que lamentar. Aportar sempre.

Saldo Anterior: R$ 82.858,66
Aporte Anterior: R$ 7.208,80

Patrimônio liquido: R$ 86.194,92
Aporte em Ações: R$ 3.000,00
Aporte em FII: R$ 730,00
Aporte Total: R$ 3.730,00



A evolução do patrimônio segue firme. Com aportes constantes, reaplicação dos proventos e rentabilidade a evolução do patrimônio está indo bem. Acredito que em agosto baterei os 100k. 

Saúde

Apesar de ser magro estava com um percentual de gordura acima do limite, segundo a nutricionista. Depois disso comecei a correr e mudar um pouco a minha dieta e os resultados foram excelentes. Fiz uns exames para ver como saúde está e está tudo bem. Perdi 4 quilos de gordura e 4 cm de cintura e nada de músculos. Praticamente minha barriga de chopp acabou.

Minhas corridas variam de 5 km a 15 km. Corro 3x por semana. Minha meta até no fim de ano é fazer 5 km abaixo dos 20 minutos. Estou quase lá, faltam  baixar uns 2 minutos. Vou conseguir, pois no começo fazia em 30 minutos e tenho muito a melhorar.

Abraços,
Cowboy Investidor
Leia Mais ››

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Como é a situação financeira de seus familiares?

Você poupa e investe. E seus familiares fazem o mesmo que você? Seus pais, seus irmãos, seu conjunge são controlados financeiramente? Vejo que tem muita gente aqui da blogosfera que são casados, mas poucos falam do seu conjunge, dos seus familiares. Para quem é casado (a), juntado (a) é importante que o seu companheiro (a) obtenha o mesmo caminho, ou seja, procurar ajudar a poupar e investir. Não há coisa pior que, um quer poupar e outro só quer gastar. Conheço casais que uma das pessoas é controlada, mas o outro só quer gastar e isso pode afetar o relacionamento para sempre caso o outro não pense no futuro.


A sua família poupa e investe? 


O que mais vejo são pessoas reclamando que não tem dinheiro, que não sobra nada, que a grana só serve para pagar dívidas, etc. É certo que muitas pessoas ganham um salário de fome, mas para quem tem saúde sempre é bom procurar crescer na vida. Porém isso poucas pessoas fazem, acabam acomodando com a sua vida medíocre e jogam a culpa no governo e nos seus antecedentes.

Para quem acompanha o meu blog sabe que eu vim de uma família muito pobre e que cada dia estou procurando crescer financeiramente e intelectualmente. Sobre finanças aprendi e estou aprendendo pela internet e livros. Meus pais não tiveram a sabedoria de me ensinar sobre isso, mas uma coisa que aprendi com eles foi viver conforme meu padrão e não gastar tudo que ganha. 

Em relação a situação financeira dos meus pais hoje é considerada boa. Eles não tem dinheiro liquido, mas tem bens. Tem gado, terras, lotes, casa. Tudo isso fruto do trabalho e do dinheiro que pouparam, e não precisa da ajuda dos filhos. Já meus irmãos que são muitos. Alguns já estão bem financeiramente e procuram sempre poupar e investir, outros são universitários, mas procuram poupar e investir o pouco que ganha.

O que tiro de bom disso é que todos procuram ser bem financeiramente e não ficar dependendo de irmãos, pais para poder se manter. Se seus familiares não tem o hábito de poupar, investir. Tente o ajudá-los através de conselhos, indicações de livros, etc. Pois ficar dando, emprestando dinheiro para pessoas que não procuram crescer, ter uma vida bem financeiramente não é saudável. Dê a isca para que eles pescam.

Você já desistiu de alguns?


Você já tentou ajudar, mas não seguiu seus conselhos, não deu a minima e continua com o pensamento de pobre?
Se isso aconteceu, o conselho que te dou é deixá-lo seguir dessa forma e você seguir a sua, mas não deixe que eles te afetem financeiramente. Isso não é ser egoísta. Quem não quer ser ajudado temos que deixar de lado. É aquele ditado: "Pau que nasce torto nunca se endireita". Eu pus um dilema na minha vida que é não perder tempo com aqueles que podem afetar a minha vida de alguma forma, tanto financeiramente quanto emocionalmente.

E aí. Como é a situação financeira de seus familiares?

Abraços,
Cowboy Investidor
Leia Mais ››

domingo, 21 de maio de 2017

Como ganhar dinheiro investindo em ações

O que ouvimos por aí é que a bolsa é um casino, muito falado por aqueles que nunca investiu, mas também falado por alguém que entrou na bolsa para especular e perdeu todo o dinheiro ou quase tudo. Uma coisa que toda pessoa que tem que fazer é estudar para começar a se investir. 

Há muitos investidores que ficaram ricos investindo em ações e podemos aprender muito com eles. Lendo livros, ouvindo, assistindo entrevistas, etc. Aqui no Brasil há uma pessoa famosa que ficou rica investindo em ações é o Luiz Barsi. Admiro muito esse homem, é uma pessoa simples e podemos aprender muito com ele. Abaixo há vídeo com uma entrevista muito boa. Muita sugestão é que você veja até o final. Você não vai se arrepender.


Abraços,
Cowboy Investidor
Leia Mais ››

terça-feira, 16 de maio de 2017

Proventos Recebidos - Maio de 2017

Olá senhores (as),
A cada dia vejo que meus proventos estão aumentando mais. Esses proventos vêm dos FII e da minha carteira de ações. Tenho algumas ações que pagam até bons dividendos, mas a maioria pagam mixaria. Claro que eu não me importo muito com isso, desde que elas me dão retorno através de crescimento.

Proventos ano 2016

Proventos recebidos: R$ 87,06

Proventos ano 2017

Proventos de Janeiro: R$ 2,73
Proventos de Fevereiro: R$ 231,81
Proventos de Março: R$ 153,30
Proventos de Abril: R$ 286,58


Proventos de Maio: R$ 293,64
Proventos Total ano 2017: R$ 968,06

Proventos Total ano 2016 e 2017: R$ 1055,12

Progresso dos proventos mensais e anuais em gráficos




Quando vejo esses gráficos fico muito feliz e isso é muito bom, mesmo que seja pouco. Vejo meus retornos tanto através de rendimentos quanto de crescimento da minha carteira. Esses proventos são todos reinvestindo. O meu foco é o aumento do patrimônio. 

Atenciosamente,
Cowboy Investidor
Leia Mais ››

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Emprestar dinheiro, emprestar cartão de crédito: Como lidar com isso

Emprestar dinheiro aos entes queridos e amigos é muitas vezes uma má ideia, pois isso coloca seu
relacionamento em perigo. Mas quando alguém que você ama está com dificuldades financeiras e você tem os meios para ajudar, pode ser quase impossível dizer não. Se você for emprestar. Então, o que você fazer?
Imagem (mundo das frases)

Não espere obter o dinheiro de volta

Um empréstimo a um amigo ou a um membro da família resulta muitas vezes na perda do dinheiro e do relacionamento. Então, não planeje fazer algo com o dinheiro que você emprestou. Trate esse dinheiro como um fundo perdido. O problema maior é esperar recebê-lo e o não pagamento pode resultar em coisa mais séria, como a perda de amizade.

Espere por um pagamento lento

Mesmo que você tiver discutido o dia de receber o dinheiro de volta. Não coloque esperança de receber no dia definido. Espere por receber esse dinheiro parcelado, por dias, meses ou anos.

Faça uma lista de verificação

Esse passo é a primeira coisa que você deverá fazer. Faça uma verificação do nome da pessoa. Deixe o sentimento de lado e aja como um banco. 

O que fazer

  • Verifique que essa pessoa te pediu dinheiro no passado. Se pediu, você foi pago de volta?
  • Foi pago de volta em tempo hábil? Você recebeu o dinheiro no tempo definido? Recebeu todo o combinado?
  • Qual é a probabilidade de ser pago de volta desta vez, caso não seja a primeira vez?
  • A pessoa tem meios para obter dinheiro para te pagar? Tem bens, um emprego, um negócio?
  • Quais são os fundos a serem usados? Quais os meios que a pessoa irá usar para te pagar.

Cobrar juros

Muita gente não cobra juros quando faz um empréstimo a parentes e amigos. Mas dependendo do tempo de empréstismo a cobrança de juros é essencial, pois isso pode te proteger da inflação. Defina qual o juro a ser cobrado. Não exagere nos juros. Cobre o praticado no mercado ou o que vai te proteger da inflação.

Discutir os termos

Discuta como vai ser a forma de pagamento. Se vai ser parcelado. Se o pagamento do juros  (se for cobrar) vai ser mensais, trimestrais, semestrais, anual (is) e o principal no dia do vencimento ou tudo no dia definido do pagamento.

Documentar por escrito

Algumas pessoas fazem um documento por escrito e pegam algumas assinaturas de testemunhas afim de se precaver caso haja a inadimplência. Isso é meio polêmico, mas não deixa de ser uma forma de se resguardar.

Obter detalhes

Pergunte a pessoa qual o objetivo do dinheiro. Esse dinheiro vai ser para comprar algo, pagar dívidas, pagar coisas relacionadas à saúde. Muita gente tem a cara de pau de pedir dinheiro emprestado para comprar carros, motos ou para gastar atoa. Dependendo do que a pessoa irá comprar ou pagar, é melhor não emprestar. Já tive parentes que me pediu dinheiro emprestado para comprar moto, mas eu não emprestei. 

Considere o impacto

Empreste somente o que não vai te comprometer financeiramente. Não passe disso, pois depois é você que irá ter dificuldades financeiras. E isso pode te afetar sentimentalmente e querer receber o dinheiro antes do combinado, caso você tenha definido.

Apenas emprestar o que a pessoa pode pagar

Empreste apenas o que a pessoa tenha condições de pagar. Nada a mais. 

Envolva o parceiro de imediato

Se você é casado ou em um relacionamento onde você está compartilhando uma conta de banco com seu (a) companheiro (a), certifique-se que o cônjuge está de acordo com sua decisão de emprestar o dinheiro a um parente ou amigo. Caso não esteja de acordo, isso pode causar uma tensão para suas reservas de dinheiro e o relacionamento pode ficar comprometido. Envolva o parceiro de imediato.

Emprestar dinheiro a parentes, amigos, ou seja, para quem que seja é uma das coisas mais complicadas para algumas pessoas. Muitas não sabem dizer não e isso pode afetar o relacionamento para sempre caso você empreste e não receba. Se você não se sente confortável em emprestar dinheiro a melhor coisa é dizer não. É melhor doar a emprestar caso você vê que isso pode afetar o seu relacionamento.

Uma coisa que acontece muito é o pedido de empréstimo de cartão de crédito. Na minha opinião, não empreste. Isso pode ser muito comprometedor, seu nome pode ficar sujo na praça caso o pedinte não te pague e você não tenha o dinheiro para cobrir a fatura. E os juros do cartão de crédito são os mais altos praticados no mercado. 


Abraços,
Cowboy Investidor
Leia Mais ››